segunda-feira, 29 de abril de 2013

Despedidas dos amigos - RS


Gramado - RS
 Uns dois meses antes de termos a data certa da nossa ida para Montreal decidimos ir visitar amigos muito queridos que se mudaram há pouco para Porto Alegre. Eles viviam insistindo, e se tem uma coisa que gostamos de fazer é viajar, então nem precisaram se esforçar tanto no convite!
O problema é que no fim das contas a viagem acabou ficando a 14 dias da nossa emigração e 2 dias antes de sairmos do Rio, daí pense na correria! Desespero e atropelo total, deixar tudo pronto, vender o resto, entregar o que já havia sido comprado, fechar as malas, cancelar todos os serviços, pintar o apartamento, entregar as chaves para a imobiliária.... É coisa viu! Além de toda burocracia referente a demissão do marido que é (ou melhor, era!!!) funcionário público.
Chegamos em POA sexta à tardinha, ainda agitados pela quantidade de pepinos para resolver e preocupados com outros tantos que tivemos que deixar na espera, sem contar que estávamos sem almoçar e em horário de pico num engarrafamento não muito amistoso (o tal do gordinho sem comer já viu né!). Chegamos no apartamento dos amigos e fomos direto para o bar Toca da Coruja, uma cervejaria muito legal, com atendimento "tri bom", recomendo muito! Sábado fomos para Gramado e ficamos lá até domingo. Ainda não conhecíamos a cidade e foi uma ótima surpresa, limpinha, arrumada, organizada, comércio bem variado e chocolates gostosos, tudo que deixa uma Tereza e um Carlos feliz!
Domingo ainda demos mais uma volta em Porto Alegre, fomos à uma feira bem charmosa de antiguidades no centro e fizemos aquele programa beeem turistão de passear em ônibus de teto aberto pela cidade. Mas como o que é bom passa rápido, segunda de manhãzinha, para nós praticamente madrugada, tivemos que voltar para casa e terminar nossa missão.
Agora vamos indo que ainda temos muito o que fazer!

Gramado:


Alce à la Amelie Poulain

Amigo é assim, paga mico junto com a gente! :P


Lago Negro

 

"Favor não colocar erva dentro da Pia"


Festa do Colono




Autêntico Pastor Alemão. Aaaa-ha...





Porto Alegre:


Feira do Brick



Parquinho da Redenção

 

?


Resumo da viagem: gostamos de Porto Alegre mas adoramos Gramado.



Curta nossa Fan Page no Facebook!
Levando o Alce para Casa

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Despedidas da família - SP

Bocaina pra mim é uma cidade com astral de casa de boneca, tudo arrumadinho, pintadinho, limpinho e  nas proporções de uma cidade de interior, uma graça!  Fica a uns 300 quilômetros de São Paulo capital, 5 horas de ônibus, meio que fora de mão especialmente pra mim que saio de outro estado, mas prefiro mentalizar que é um pedacinho de paraíso escondido e preservado! hehehe


Sabe aquele lugar onde você conhece a dona do mercado, pode ligar pro farmacêutico que conhece todo o seu histórico médico, cumprimenta as pessoas na rua e conhece cada um deles, é amigo do médico, conhece o taxista,...? É bem isso, e com o plus de ser incomparavelmente mais seguro que outras cidades maiores, além de ter um ex prefeito super simpático e competente! 




No inverno realmente esfria e tem festa junina na praça, no verão faz calor e dá pra ir na piscina, custo de vida baixo, aluguéis baratos e imagino que compra de imóveis também. Olha, para falar bem a verdade se o meu marido não fosse de TI e tivesse facilidade para trabalhar no interior, eu me mudaria pra lá tranquilamente. Afinal, a gente tá procurando qualidade de vida né? E lá tem de sobra. Pena que nem tudo é perfeito. Quem sabe quando a gente se aposentar...

Bom, boa parte da família da minha mãe é bocainense, minha avó e tios e muitos outros parentes ainda moram na cidade ou em Sampa, daí sempre que possível estamos por lá. É sempre uma delícia rever todos, ficar com a minha avó querida, comer as delícias da Dona Mara, colocar as fofocas em dia e relaxar. Fui para ficar o fim de semana e não queria voltar mais, passa muito rápido. Mas essa viagem teve um motivo especial, dar um beijo beeem grande em todos e falar até mais. Para mim, que tenho pavor a despedidas (acho que é trauma de quem sempre morou longe da família), ter que ir lá para falar tchau, é duro. Agora então... Guenta coração! 
Se pudesse levava a família toda e Bocaina no avião, minha lista só aumenta!






Curta nossa Fan Page no Facebook!

Alce à la Amelie Poulain

Porque sim, porque não, porque sim, porque não...? Porque não?
A ideia me veio às 4h da manhã quando eu estava me arrumando para ir ao aeroporto, pra falar a verdade não sei direito nem se foi ideia ou se ainda estava sonhando, só sei que peguei o nosso mascote e botei na mala.

Quando eu cheguei em Bocaina já mais desperta, pensei de novo, porque sim, mesmo? Esse nunca foi o objetivo do blog, fazer o Alce dar uma de duende da Amelie Poulain. Para nós ele é mais um lembrete, como uma fita amarrada no dedo, nos falando que tempos ou realidades melhores estão por vir.
Mas aí eu já tinha deixado o pobre do bicho de pelúcia por 8 horas dentro da mala com o focinho todo amassado, coloquei ele dentro da bolsa, peguei a prima Helô para pagar mico comigo e saímos pela cidade.
O "resultado" tá aí:





quinta-feira, 18 de abril de 2013

Aniversário maridal

É minha gente, o tempo passa o tempo voa e a cada ano que passa a gente fica mais velho! Não vou negar que estou começando a não gostar de aniversário (o meu claro, o dos outros não tem problema!) mas o marido completando mais uma primavera significa que em 3 meses eu também completo... : / Sai de corpo que não te pertence idade!
O niver maridal foi ótimo, a sogra que chegou para as festividades se animou para cozinhar e fez um prato que eu adoro e ela é craque! Macarrão com molho bechamel e camarão, simples, prático mas muito bom! Acho que vou colocar aqui no "Não tenho mais emprega e não sei cozinhar".  Para completar abrimos nosso penúltimo champanhe, estamos quase no fim da missão Acabar com a Adega, e de sobremesa bolo, claro! 
Como presente de aniversário extra ele ainda foi fazer o exame demissional, apesar do choque constante das pessoas quando ele diz que é de um emprego público que ele está saindo.

Parabéns amor! Muitos e muitos anos de vida! Que no ano que vem eu possa te falar joyeux anniversaire ou bonne fête à toi!

Curta nossa Fan Page no Facebook!
Levando o Alce para Casa

quarta-feira, 17 de abril de 2013

65 Observações sobre o Brasil do ponto de vista francês

Olivier Teboul, 29 anos, é francês mas mora no Brasil há um ano e meio na cidade de Minas Gerais. Com muito bom humor ele comenta alguns hábitos nossos que percebeu e descobriu durante esse período e que muitas vezes nem notamos, perdidos no dia a dia. Não que eu concorde com todas elas, mas algumas (acho que a maioria) até fazem bastante sentido..




"Aqui são umas das minhas observações, as vezes um pouco exageradas, sobre o Brasil. Nada serio.
  1. Aqui no Brasil, tudo se organiza em fila: fila para pagar, fila para pedir, fila para entrar, fila para sair e fila para esperar a próxima fila. E duas pessoas ja bastam para constituir uma fila.
  2. Aqui no Brasil, o ano começa “depois do Carnaval”.
  3. Aqui no Brasil, não se pode tocar a comida com as mãos. No MacDonalds, hamburger se come dentro de um guardanapo. Toda mesa de bar, restaurante ou lanchonete tem um distribuidor de guardanapos e de palitos. Mas esses guardanapos são quase de plastico, nada de suave ou agradável. O objetivo não é de limpar suas mãos ou sua boca mas é de pegar a comida com as mãos sem deixar papel nem na comida nem nas mãos.
  4. Aqui no Brasil todo é gay (ou ‘viado’). Beber chá: e gay. Pedir um coca zero: é gay. Jogar vólei: é gay. Beber vinho: é gay. Não gostar de futebol: é gay. Ser francês: é gay, ser gaúcho: gay, ser mineiro: gay. Prestar atenção em como se vestir: é gay. Não falar que algo e gay : também é gay.
  5. Aqui no Brasil, os homens não sabem fazer nada das tarefas do dia a dia: não sabem faxinar, nem usar uma maquina de lavar. Não sabem cozinhar, nem a nível de sobrevivência: fazer arroz ou massa. Não podem concertar um botão de camisa. Também não sabem coisas que estão consideradas fora como extremamente masculinas como trocar uma roda de carro. Fui realmente criado em outro mundo…
  6. Aqui no Brasil, sinais exterior de riqueza são muito comuns: carros importados, restaurantes caríssimos em bairros chiques, clubes seletivos cujos cotas atingem valores estratosféricas.
  7. Aqui no Brasil, os casais sentam um do lado do outro nos bares e restaurantes como se eles estivessem dentro de um carro.
  8. Aqui no Brasil, os homens se vestem mal em geral ou seja não ligam. Sapatos para correr se usam no dia a dia, sair de short, chinelos e camiseta qualquer e comum. Comum também é sair de roupas de esportes mas sem a intenção de praticar esporte. Se vestir bem também é meio gay.
  9. Aqui no Brasil, o cliente não pede cerveja pro garção, o garção traz a cerveja de qualquer jeito.
  10. Aqui no Brasil, todo mundo torce para um time, de perto ou de longe.
  11. Aqui no Brasil, sempre tem um padre falando na televisão ou na radio.
  12. Aqui no Brasil, a vida vai devagar. E normal estar preso no transito o dia todo. Mas não durma no semáforo não. Ai tem que ser rápido e sair ate antes do semáforo passar no verde. Não depende se tiver muitas pessoas atrás, nem se estiverem atrasados. Também é normal ficar 10 minutos na fila do supermercado embora que tenha só uma pessoa na sua frente. Ai demora para passar os artigos, e muitas vezes a pessoa da caixa tem que digitar os códigos de barra na mão ou pedir ajuda para outro funcionário para achar o preço de um artigo. Mas, na hora de retirar o cartão de credito, ai tem que ser rápido. Não é brincadeira, se não retirar o cartão na hora, a mesma moça da caixa que tomou 10 minutos para 10 artigos vai falar agressivamente para você agilizar: “pode retirar o cartão!”.
  13. Aqui no Brasil, os chineses são japoneses.
  14. Aqui no Brasil, a música faz parte da vida. Qualquer lugar tem musica ao vivo. Muitos brasileiros sabem tocar violão embora que não consideram que toquem se perguntar pra eles. Tem músicos talentosos, mas não tantos tocam as musicas deles. Bares estão cheios de bandas de cover.
  15. Aqui no Brasil, a política não funciona só na dimensão esquerda – direita. Brasil é um pais de esquerda em vários aspectos e de direita em outros. Por exemplo, se pode perder seu emprego de um dia pra outro quase sem aviso. Tem uma diferencia enorme entre os pobres e os ricos. Ganhar vinte vezes o salario minimo é bastante comum, e ganhar o salario minimo ainda mais. As crianças de classe media ou alta estudam quase todos em escolas particulares, as igrejas tem um impacto muito importante sobre decisões politicas. E de outro lado, existe um sistema de saúde publico, o estado tem muitas empresas, tem muitos funcionários públicos, tem bastante ajuda para erradicar a pobreza em regiões menos desenvolvidas do país. O mesmo governo é uma mistura de política conservadora, liberal e socialista.
  16. Aqui no Brasil, e comum de conhecer alguem, bater um papo, falar “a gente se vê, vamos combinar, ta?”, e nem trocar telefone.
  17. Aqui no Brasil, a palavra “aparecer” em geral significa, “não aparecer”. Exemplo: “Vou aparecer mais tarde” significa na pratica “não vou não”.
  18. Aqui no Brasil, o clima é muito bom. Tem bastante sol, não esta frio, todas as condicões estão reunidas para poder curtir atividades fora. Porem, os domingos, se quiser encontrar uma alma viva no meio da tarde, tem que ir pro shopping. As ruas estão as moscas, mas os shopping estão lotados. Shopping é a coisa mais sem graça do Brasil.
  19. Aqui no Brasil, novela é mais importante do que cinema. Mas o cinema nacional é bom.
  20. Aqui no Brasil, não falta espaço. Falam que o pais tem dimensões continentais. E é verdade, daria para caber a humanidade inteira no Brasil. Mas então se tiver tanto espaço, por que é que as garagens dos prédios são tão estreitos? Porque existe até o conceito de vaga presa?
  21. Aqui no Brasil, comida salgada é muito salgada e comida dolce é muito doce. Ate comida é muita comida.
  22. Aqui no Brasil, se produz o melhor café do mundo e em grandes quantidades. Uma pena que em geral se prepare muito mal e cheio de açúcar.
  23. Aqui no Brasil, praias bonitas não faltam. Porem, a maioria dos brasileiros viajam todos para as mesmas praias, Búzios, Porto de Galinhas, Jericoacoara, etc.
  24. Aqui no Brasil, futebol é quase religião e cada time uma capela.
  25. Aqui no Brasil, as pessoas acham que dirigir mal, ter transito, obras com atraso, corrupção, burocracia, falta de educação, são conceitos especificamente brasileiros. Mas nunca fui num pais onde as pessoas dirigem bem, onde nunca tem transito, onde as obras terminam na data prevista, onde corrupção é só uma teoria, onde não tem papelada para tudo e onde tudo mundo é bem educado!
  26. Aqui no Brasil, esporte é ou academia ou futebol. Uma pena que só o futebol seja olímpico.
  27. Aqui no Brasil, existe três padrões de tomadas. Vai entender porque…
  28. Aqui no Brasil, não se assuste se estiver convidado para uma festa de aniversário de dois anos de uma criança. Vai ter mais adultos do que crianças, e mais cerveja do que suco de laranja. Também não se assuste se parece mais com a coroação de um imperador romano do que como o aniversário de dois anos. E ‘normal’.
  29. Aqui no Brasil, nõ tem o conceito de refeição com entrada, prato principal, queijo, e sobremesa separados. Em geral se faz um prato com tudo: verdura, carne, queijo, arroz e feijão. Dai sempre acaba comer uma mistura de todo.
  30. Aqui no Brasil, o Deus esta muito presente… pelo menos na linguagem: ‘vai com o Deus’, ‘se Deus quiser’, ‘Deus me livre’, ‘ai meu Deus’, ‘graças a Deus’, ‘pelo amor de Deus’. Ainda bem que ele é Brasileiro.
  31. Aqui no Brasil, cada vez que ouço a palavra ‘Blitz’, tenho a impressão que a Alemanha vai invadir de novo. Reminiscência da consciência coletiva francesa…
  32. Aqui no Brasil, pais com muita ascendência italiana, tem uma lei que se chama ‘lei do silencio’. Que mau gosto! Parece que esqueceram que la na Itália, a lei do silencio (também chamada de “omerta”) se refere a uma pratica da mafia que se vinga das pessoas que denunciam suas atividades criminais.
  33. Aqui no Brasil, se acha tudo tipo de nomes, e muitos nomes americanos abrasileirados: Gilson, Rickson, Denilson, Maicon, etc.
  34. Aqui no Brasil, quando comprar tem que negociar.
  35. Aqui no Brasil, os homens se abraçam muito. Mas não é só um abraço: se abraça, se toca os ombros, a barriga ou as costas. Mas nunca se beija. Isso também é gay.
  36. Aqui no Brasil, o polegar erguido é sinal pra tudo : “Ta bom?”, “obrigado”, “desculpa”.
  37. Aqui no Brasil, quando um filme passa na televisão, não passa uma vez só. Se perder pode ficar tranquilo que vai passar mais umas dez outras vezes nos próximos dias. Assim já vi “Hitch” umas quatro vezes sem querer assistir nenhuma.
  38. Aqui no Brasil, tem um jeito estranho de falar coisas muito comuns. Por exemplo, quando encontrar uma pessoa, pode falar “bom dia”, mas também se fala “e ai?”. E ai o que? Parece uma frase abortada. Uma resposta correta e comum a “obrigado” e “imagina”. Imagina o que? Talvez eu quem falte de imaginação.
  39. Aqui no Brasil, todo mundo gosta de pipoca e de cachorro quente. Não entendo.
  40. Aqui no Brasil, quando você tem algo pra falar, é bom avisar que vai falar antes de falar. Assim, se ouvi muito: “vou te falar uma coisa”, “deixa te falar uma coisa”, “é o seguinte”, e até o meu preferido: “olha só pra você ver”. Obrigado por me avisar, já tinha esquecido para que tinha olhos.
  41. Aqui no Brasil, as lojas, o negócios e os lugares sempre acham um jeito de se vender como o melhor. Já comi em em vários ‘melhor bufe da cidade’ na mesma cidade. Outro superativo de cara de pau é ‘o maior da América latina’. Não costa nada e ninguém vai ir conferir.
  42. Aqui no Brasil, tem uma relação ambígua e assimétrica com a América latina. A cultura do resto da América latina não entra no Brasil, mas a cultura brasileira se exporta la. Poucos são os brasileiros que conhecem artistas argentinos ou colombianos, poucos são os brasileiros que vão de ferias na América latina (a não ser Buenos Aires ou o Machu Pichu), mas eles em geral visitaram mais países europeus do que eu. O Brasil as vezes parece uma ilha gigante na América latina, embora que tenha uma fronteira com quase todos os outros países do continente.
  43. Aqui no Brasil, relacionamentos são codificados e cada etapa tem um rótulo: peguete, ficante, namorada, noiva, esposa, (ex-mulher…). Amor com rótulos.
  44. Aqui no Brasil, a comida é: arroz, feijão e mais alguma coisa.
  45. Aqui no Brasil, o povo é muito receptivo. E natural acolher alguem novo no seu grupo de amigos. Isso faz a maior diferencia do mundo. Obrigado brasileiros.
  46. Aqui no Brasil, o brasileiros acreditam pouco no Brasil. As coisas não podem funcionar totalmente ou dar certo, porque aqui, é assim, é Brasil. Tem um sentimento geral de inferioridade que é gritante. Principalmente a respeito dos Estados Unidos. To esperando o dia quando o Brasil vai abrir seus olhos.
  47. Aqui no Brasil, de vez em quando no vocabulário aparece uma palavra francesa. Por exemplo ‘petit gâteau’. Mas para ser entendido, tem que falar essas palavras com o sotaque local. Faz sentido mas não deixa de ser esquisito.
  48. Aqui no Brasil, tem um organismo chamado o DETRAN. Nem quero falar disso não, não saberia por onde começar…
  49. Aqui no Brasil, dentro dos carros, sempre tem uma sacola de tecido no alavanca de mudança pra colocar o lixo.
  50. Aqui no Brasil, os brasileiros se escovam os dentes no escritório depois do almoço.
  51. Aqui no Brasil, se limpa o chão com esse tipo de álcool que parece uma geleia.
  52. Aqui no Brasil, a versão digital de ‘fazer fila’ e ‘digitar codigos’. No banco, pra tirar dinheiro tem dois códigos. No supermercado, o leitor de código de barra estando funcionando mal tem que digitar os códigos dos produtos. Mas os melhores são os boletos pra pagar na internet: uns 50 dígitos. Sempre tem que errar um pelo menos. Demora.
  53. Aqui no Brasil, o sistema sempre ta “fora do ar”. Qualquer sistema, principalmente os terminais de pagamento de cartão de credito.
  54. Aqui no Brasil, tem um lugar chamado cartório. Grande invenção para ser roubado direito e perder seu tempo durante horas para tarefas como certificar uma copia (que o funcionário nem vai olhar), o conferir que sua firma é sua firma.
  55. Aqui no Brasil, parece que a profissão onde as pessoas são mais felizes é coletor de lixo. Eles estão sempre empolgados, correndo atrás do caminhão como se fosse um trilho do carnaval. Eles também são atletas. Tens a energia de correr, jogar as sacolas, gritar, e ainda falar com as mulheres passando na rua.
  56. Aqui no Brasil, pode pedir a metade da pizza de um sabor e a metade de outro. Ideia simples e genial.
  57. Aqui no Brasil, no tem agua quente nas casas. Dai tem aquele sistema muito esperto que é o chuveiro que aquece a agua. Só tem um porem. Ou tem agua quente ou tem um débito bom. Tem que escolher porque não da para ter os dois.
  58. Aqui no Brasil, as pessoas saem da casa dos pais quando casam. Assim tem bastante pessoas de 30 anos ou mais morando com os pais.
  59. Aqui no Brasil, tem três palavras para mandioca: mandioca, aipim e macaxeira. La na franca nem existe mandioca.
  60. Aqui no Brasil, tem o numero de telefone tem um DDD e também um numero de operadora. Uma complicação a mais que pode virar a maior confusão.
  61. Aqui no Brasil, quando encontrar com uma pessoa, se fala: “Beleza?” e a resposta pode ser “Jóia”. Traduzindo numa outra língua, parece que faz pouco sentido, ou parece um dialogo entre o Dalai-Lama e um discípulo dele. Por exemplo em inglês: “The beauty? – The joy”. Como se fosse um duelo filosófico de conceitos abstratos.
  62. Aqui no Brasil, a torneira sempre pinga.
  63. Aqui no Brasil, no taxi, nunca se paga o que esta escrito. Ou se aproxima pra cima ou pra baixo.
  64. Aqui no Brasil, marcar um encontro as 20:00 significa as 21:00 ou depois. Principalmente se tiver muitas pessoas envolvidas.
  65. Aqui em Belo Horizonte, e a menor cidade grande do mundo. 5 milhões de habitantes, mas todo mundo conhece todo mundo. Por isso que se fala que BH é um ovo. Eu diria que é um ovo frito. Assim fica mais mineiro."
Curta nossa Fan Page no Facebook!

terça-feira, 16 de abril de 2013

Nossa To Do List!

Imigrar é uma confusão, muita coisa pra resolver e emoções a mil! Aí se a gente não se organizar já viu... A lista de afazeres acaba sendo aquilo que segura a gente no chão e ajuda a manter a sanidade! heheh
Claro que não é uma lista fixa, o que está aqui foi tudo que lembramos até agora, mas cada vez que paramos pra pensar vem mais e mais.
Bom, segue a versão atual:

  • Tirar o visto americano;
  • Abrir a conta no HSBC;
  • Tirar carteira de motorista internacional;
  • Consultas e exames médicos (oculista, dermato, gineco, ortopedista, dentista); 
  • Comprar dvds de músicas brasileiras;
  • Comprar caixas de papelão resistente e plástico bolha;
  • Empacotar todos os itens de casa que levaremos em caixas de até 32kg
  • Comprar sacos a vácuo;
  • Pedir aviso prévio no trabalho;
  • Anunciar nosso Garage Sale;
  • Vender o carro;
  • Achar em casa cadeado do tipo TSA (que podem ser aberto pela alfândega estadunidense se eles quiserem sem que seja necessário arrobar a a mala) para a mala do marido, (a minha já tem);
  • Fazer uma limpa no guarda-roupas e doar o que não vamos levar; 
  • Comprar mais sacos à vácuo...;
  • Contratar o seguro saúde para os 3 primeiros meses de Canadá;
  • Cancelar cadastro no banco brasileiro de medula óssea (se possível já transferir para o do Canadá). 
  • Pintar o apartamento;
  • Marcar despedidas;
  • Vender a maior parte das coisas de casa e doar o restante;
  • Despedidas com família e amigos (São Paulo, Porto Alegre);
  • Cancelar conta bancária no Rio;
  • Separar e organizar documentos que serão solicitados para imigração, já deixando-os nas mochilas;
  • Colocar dvd player na mala;
  • Arrumar as malas para Recife/Montreal;
  • Cancelar NET, gás e eletricidade; 
  • Entregar o apartamento;
  • Orientar pai e sogro a pagarem nossa aposentadoria no Brasil;
  • Despedidas com família e amigos (Recife, João Pessoa);
  • Orientar pai e sogro a pagarem nossa aposentadoria no Brasil;
  • Montar a farmacinha para os primeiros meses (incluindo 6 meses de anticoncepcional).
  • Transferir dinheiro para a conta canadense, VTM e comprar alguns dólares canadenses;
  • Confirmar detalhes para chegada e de estadia na casa de amigos em Montreal;
  • Arrumar as malas para Montreal;
  • Fazer última pesagem de toda a bagagem.
  • Checar ausência de líquidos com mais de 100mls nas bolsas/malas de mão;
  • Reconferir todos os documentos que serão solicitados para imigração.
Curta nossa Fan Page no Facebook!

domingo, 14 de abril de 2013

Montando uma casa (de novo)

Que montar casa dá trabalho, é cansativo, demora e custa caro, todo mundo já sabe. Agora faça isso em um outro país, com outra moeda, sem ter certeza da qualidade dos produtos e o mais importante, precisando economizar (sim porque com muito dinheiro no bolso tudo é bem mais fácil!) e sem se desesperar... Haja perna para correr atrás, paciência para comprar as coisas aos pouquinhos e calma para fazer tudo com muita consciência!
Quando nós casamos e viemos pro Rio já tínhamos o plano de emigrar. A gente achava que em um ano e meio (ô dó, inocentes...) íamos embora e teríamos que descartar tudo, então investimos só o básico pra viver com algum conforto, comprando móveis praticamente descartáveis e eletrônicos bons o suficientes. Até na lista de presentes do casório só pedimos coisas que poderíamos levar depois...
3 anos mais tarde já estamos bem cansadinhos de morar no básico e ansiosos por conforto, daí a necessidade de botar os pés no chão e segurar a onda por mais um tempo, além do que imigrante recém chegado não pode ser dar muito luxo.
Bom, acho que montar casa é meio que como ir ao mercado, se não fizer lista de compras acabamos botando no carrinho aquilo que nem precisa tanto e quando chegamos em casa acabamos percebendo que tá faltando um monte de coisa... Um pouco de organização não faz mal a ninguém.
Daí coloquei no papel aquilo que acho mais básico para vivermos com algum conforto e ao lado uma noção de custo, usei a IKEA como referência mas lá a gente pesquisa melhor.
Claro que cada um tem suas prioridades, preferências, maior números de pessoas na família, pets, etc, etc... 
E mesmo nós com a nossa própria lista não pretendemos comprar tudo de uma vez só, na verdade tendo colchão, fogão e geladeira, o resto a gente dá um jeito.Também depende da estratégia que você quer adotar, comprar tudo do mais baratinho e depois ir trocando, ou o que decidimos fazer, comprar o "pra valer, fixo, de verdade", pra não ter que gastar "dois dinheiros" depois.
Segue o nosso exemplo:



Cômodo
Item
Estimativa de custo (CAD)
Sala de Estar
Sofá
TV
Um lugar para colocar a TV (não precisa nem ser um móvel)
700,00 – IKEA

50,00 - IKEA
Sala de Jantar
Mesa com cadeiras
Toalha de mesa
Apoio para panelas quentes
750,00 - IKEA
Quarto Casal
Cama
Colchão
Travesseiros
Guarda roupa
Cabides
Complemento aos lençóis que já temos
1 Edredom
1 colcha mais leve
250,00 - IKEA
600,00 - IKEA
40,00 (cada) – IKEA
500,00 - IKEA
32,00 - IKEA
50,00 – IKEA

50,00 - IKEA
40,00 - IKEA
Banheiro
3 Conjuntos de toalhas completos com piso
Lixeiro
Apoio para xampu e sabonete
Potinho para escovas de dente e cotonetes
Armário ou prateleiras para coisas de banheiro
Cortina para box
Espelho banheiro
100,00 - IKEA

15,00 - IKEA
12,00 - IKEA
17,00 - IKEA

50,00 – IKEA

15,00 - IKEA
30,00 - IKEA
Cozinha
Panos de prato
Peneira
Conjunto de panelas
Frigideira
Escorredor de macarrão
Liquidificador
Copos
Conjunto de pratos com xícaras
Talheres
Escorredor de pratos
1 Assadeira
1 Tábua de corte
1 Faca boa
1 Jarra para água / suco
Formas para gelo
Geladeira (se não houver no apt)
Fogão (se não houver no apt)
10,00 - IKEA
Área de serviço
Varal de chão
Vassoura
Pá para vassoura
1 Balde / Carrinho para Mop
Esfregão ou Mop / Rodo - Panos de chão
1 Bacia
Máquina de lavar roupas
Máquina de secar
Ferro de passar
Tábua de passar
Cesto para roupa suja
25,00 - IKEA
6,00 - IKEA
4,00 – IKEA
8,00 – IKEA
8,00 – IKEA




15,00 – IKEA
15,00 - IKEA
Escritório /
quarto visita
1 Mesa
1 Cadeira
Colchão solteiro
Travesseiro
Conjunto lençol solteiro
70,00
70,00

30,00 - IKEA
35,00 - IKEA
Outros



sábado, 13 de abril de 2013

30 dias pro embarque

Sabe aquilo que todo mundo diz, que esse período final é correria, muita coisa pra resolver? Pois é, é puxado mesmo. E olha que a gente vem se preparando há alguns meses... Mas não tem jeito, tem coisas que precisam ficar pro fim, do fim e acabam acumulado.
Até agora já vendemos praticamente a metade da casa, geladeira, tv, rack, mesa... A sorte é que o comprador concordou em retirar tudo lá pelo dia 25, se não íamos acabar guardando comida no isopor com gelo por um mês inteiro, o oh! 
Conseguimos vender o carro! Ele na verdade era a nossa grande preocupação, achamos que ia demorar pra achar um comprador, dar trabalho,  mas do dia em que começamos a anunciar até a venda ser concretizada só se passaram 3 dias! Mais um check na lista!
Fechamos 5 caixas: 2 que vão conosco, 1 que vai passar um ano em Recife esperando pela hora de ser levada, e outras 2 de livros.
Comecei a lavar, passar e guardar algumas roupas que sei que não vou mais usar pelo próximo mês e tô colocando naqueles sacos a vácuo pra ir arrumando na mala. O problema é que esse fim de mês faremos 2 viagens para despedidas, só voltamos pro Rio dia 30 abril e dia 1 de maio vamos de vez pra Recife ficar com a família! Daí corre cambada pra adiantar tudo, né!
Semana que vem é aniversário do marido e a sogra vai aproveitar a data para ficar um pouco mais com o filho e nos ajudar, mais um par de mãos para trabalhar! Ufa...
Claro que no meio da correria tem umas partes bem divertidas, por exemplo estamos acabando com a nossa adega! Vinhos, champanhes e espumantes que a gente compra em viagens e visitas a vinícolas e caves ou nos Free Shops mesmo e guardávamos para datas ou jantares especiais. Desde que compramos as passagens estamos realmente empenhados nessa tarefa! hehehe Pro niver maridal abriremos um Lanson, acho que a gente devia imigrar mais vezes! :)
No mais, a cabeça já está do lado de lá, só paquerando apartamentos no Kijiji e fazendo listas de afazeres para quando chegarmos. Ainda preciso colocar no papel o básico para deixar uma casa habitável, se não é que nem quando a gente vai no mercado, joga tudo no carrinho, chega em casa e não sabe mais nem porque que pegou aquilo, fica faltando coisa, aquela confusão. 
30 dias, só falta mais um pouquinho...

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Indicando Blog - "Um Ano sem Zara"

Fonte: www.umanosemzara.com.br
Esse é para as meninas!
Bom, eu não sei vocês mas cansei de parar na frente do guarda roupa e falar "puts, não tenho nada pra vestir". Ok que no meu caso não costumo renovar geral e só compro mesmo quando estou precisando ou acabo vestindo qualquer coisa, mas quem não gosta de botar uma roupa bonita e se sentir bem?!
Joanna Moura, autora do Um ano sem Zara, não era imigrante recém chegada mas precisava economizar (aliás, quem não precisa??), estava toda endividada e assumiu o título de compradora compulsiva.  Resolveu então criar um blog onde se propôs o desafio de passar um ano inteirinho sem comprar nenhuma peça, só recombinando as coisas que já tinha no guarda roupa, o dela sim, abarrotado. No blog ela conta como foi a experiência e de lambuja acaba dando muitas dicas para nós. 

No meu caso gosto de ver as combinações para ter ideias e já ir pra loja sabendo exatamente o que quero. Aliás, eu to quase uma Joanna, 6 meses sem comprar roupa, só que ela tinha um estoque! 
To vendo que na minha mala vai acabar indo mais coisa para casa que coisas minhas mesmo...


Saiu na Revista Exame: "O sucesso irresistível de "Um ano sem Zara". Joanna Moura deu uma guinada nas finanças após um ano sem ir às compras. O desafio foi parar num blog, e agora ela ensina como ficar na moda sem entrar no buraco"